Página Inicial | Webmail | Acesso Restrito | Fale Conosco
Desenvolvido por: SIGEP - Sistema Integrado de Gestão Pública


Nossa FORÇA vem dos MUNICÍPIOS



Rede de Municípios Doadores: projeto ganha reforço de madrinhas

Publicado em 28/mar/2018


Como implementar o projeto Rede de Municípios Doadores? Essa foi a principal dúvida na tarde desta terça-feira, 27 de março, de primeiras damas, prefeitas e secretárias em Goiânia. Os Municípios do Estado são pioneiros na implementação da Rede.

O projeto de autoria da Confederação Nacional de Municípios (CNM) vem com o objetivo de facilitar o fluxo de doação sanguínea por meio de articulação virtual entre as unidades de coletas, prefeitas e doadores. “Para começar a receber alertas, é necessário que as madrinhas façam cadastro na Rede. Se a unidade de coleta de sangue de Goiânia tiver uma baixa, o hemocentro avisa a madrinha do Município, que cria um mecanismo para chamar esses doadores para doar”, disse a técnica da área de saúde da CNM, Amanda Borges.

O processo é simples. A madrinha se cadastra, criando um login e perfil do usuário. Ao completar o cadastro, a madrinha já está apta a usar o aplicativo ou a plataforma online. Na opção alertas, confere a listagem de tipos sanguíneos necessitada nos hemocentros do Municípios. Assim, pode-se pensar em alternativas para estimular a doação, como a criação de um transporte solidário, além de um modo de alerta aos doadores. “Todas as unidades de coleta e os hemocentros já foram cadastrados e já estão aptos e emitir alerta para vocês”, lembra Amanda.

Doação de Sangue

O diretor Geral do Hemocentro de Goiás, Mauro Silva, integrou a plenária, quando explicou como funciona o processo de doação de sangue. “Há dois tipos de doadores de sangue. O que faz por amor, que sempre doa e participa, e aquele que faz na dor, quando algum parente necessita da doação sanguínea”, disse.

Mauro lembra, ainda, da dificuldade que os hemocentros tem em lidar com o estoque baixo de sangue. “Nós sempre nos perguntamos se amanhã nós teremos estoque de sangue para doação”, finaliza.

O aplicativo ou a plataforma online fazem, ainda, uma pré-triagem do doador cadastrado. A técnica da área da saúde da CNM lembra ainda que o projeto é piloto e está sendo testado exclusivamente em Goiás. “Tem uma ideia nova? Nos procure. Nós estamos adaptando todo o sistema aqui nos Municípios goianos, para só depois implementar em todo o país”, completa Amanda.

Para saber mais sobre o projeto Rede de Municípios Doadores, acesse: www.doadores.cnm.org.br

 

Fonte: CNM


Compartilhar




 






















Parceiros




Filie-se


    Contatos


    E-MAIL: fgm@fgm-go.org.br
    TELEFONE: Geral (62) 3999-7450
    Rua 102 – nº 186 – no Setor Sul Goiânia – Go

    Fale Conosco


    Copyright © 2017-2019 - Todos os direitos reservados | FGM - Federação Goiana de Municípios